Preacher – Quadrinhos Revolucionários

Virou lugar-comum apontar os icônicos super-heróis de papel como um dos maiores símbolos da cultura pop ianque e, como as adaptações de quadrinhos de heróis se tornaram um dos negócios mais lucrativos do mercado cinematográfico da década passada pra cá, não é de se admirar que muitas vezes os quadrinhos americanos sejam reduzidos a essa referência por aqueles que conhecem a arte de maneira mais genérica. Mas a verdade é que as comics não se restringem apenas a super-heróis mascarados prontos para combater o crime, salvar o mundo, que se envolvem nas mais absurdas e peculiares situações.

O mainstream e o underground estão presentes não apenas na música e no cinema, mas também nos quadrinhos. Desse modo, existem tanto as HQs mais comerciais (geralmente os títulos de super-heróis), quanto uma linha mais alternativa dessa mídia (no caso, os quadrinhos para leitores maduros). É possível encontrar tanto em uma como na outra, produtos de qualidade. Mas é bom saber que há muito a ser explorado nessa cultura e que merece um pouco mais de investigação e pesquisa por parte daqueles que estão começando a se aventurar pelo universo da 9ª arte ou ainda se limitam apenas à leitura de HQs de super-heróis que, definitivamente, dominam o mercado e o imaginário popular.

Bons exemplos de quadrinhos alternativos de qualidade são Estranhos no Paraíso, Cerebus, Love and Rockets e Preacher.

Aliás, esse último é o que merece nossa atenção. Preacher é uma leitura que impacta pela subversão, violência gráfica e altas doses de humor negro.

Contando com o argumento de Garth Ennis e o belo traço de Steve Dillon, essa atípica road history narra as desventuras de Jesse Custer, um ex-pastor possuído pela entidade Gênesis, que nasceu da união entre um anjo e um demônio. A entidade lhe confere o poder de ser obedecido por quem quer que seja, como se sua voz fosse a própria palavra de Deus. Logo que os anjos do Paraíso ficam sabendo da fusão de Custer com a entidade, decidem matá-lo.

Jesse Custer é a própria personificação do anti-herói, apresentando características inerentes a essa figura, sempre bebendo e fumando demais. O ex-pastor acaba, por fim, encontrando um objetivo (estranho e enigmático) em sua vida: Tentar descobrir onde diabos Deus se meteu. Mas Custer não está sozinho nessa empreitada. Ao lado de sua amante Tulipa e do bizarro vampiro irlandês e alcoólatra Cassidy, ele parte em busca do Deus que renunciou seu posto.

A série foi publicada pelo selo Vertigo, uma divisão madurada da editora DC Comics, que lançou entre outras, as clássicas revistas do Monstro do Pântano, Sandman, V de Vingança e Watchmen. Foram sessenta e seis revistas regulares e seis edições especiais de Preacher, o que não tão curiosamente formam o número 666.

Com influências que vão dos bons e velhos westerns americanos até Quentin Tarantino, abusando da linguagem de baixo calão e violência crua e extrema, a série chegou a ser chamada de misógina e satanista. Não é de se surpreender uma vez que sempre surgem mal-entendidos e alegações infundadas como estas quando não se capta a real mensagem da obra.

Além de uma história sobre a fé, Preacher é o reflexo de uma jornada de companheirismo e uma poderosa crítica social. Fora a indagação bastante pontual: Onde Deus foi parar?

Vale a pena escavar melhor o universo das histórias em quadrinhos e descobrir preciosidades como essas. Leituras maduras, críticas, com profundidade, que transmitem mensagens interessantes e pertinentes e são conduzidas de maneira inteligente e inovadora. Também vale para perceber que quadrinhos americanos são mais do que apenas heróis encapuzados, nerds em conflito com seu alterego, jovens equipes de heróis, justiceiros milionários que levam vida dupla e patriotas  imbatíveis.

Andrizy Bento

Anúncios

2 comentários em “Preacher – Quadrinhos Revolucionários”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s