The Night Shift

Eu sei que o mundo está saturado de séries médicas. Os 15 anos de E.R. e os 10 de Grey’s Anatomy, sem falar de Nip/Tuck são as culpadas por isso, deixando todo mundo receoso quando reúnem um bando de médicos em uma nova série de TV. Admito que na midseason do ano passado, eu fui toda ressabiada conferir o piloto de The Night Shift da NBC. Eu sei que não tomo jeito, a viciada pode se encher de senões mas a verdade é que eu não resisto a um piloto…

Temporada passada The Night Shift surgiu com sete episódios. Amo séries que curtas, compostas de poucos capítulos, pois são mais enxutas, sem os famigerados fillers, que são episódios irritantes cuja única finalidade é encher linguiça. Bem, vocês devem estar se perguntando qual é a graça dessa série? Pois é a excelente trama vivida pelos atormentados personagens. A série se passa no Texas e a maioria de seus médicos são ex-militares que serviram no Iraque ou Afeganistão. Só com essa informação já sabemos que a espinha dorsal da história, em sua primeira temporada, são os traumas vividos por aqueles soldados durante seu período de serviço militar. Um prato cheio pra qualquer roteirista de dramas televisivos.

O protagonista, TC Callahan, perdeu o irmão no Iraque e esta perda o impede de retomar a normalidade na volta para casa. O seu relacionamento amoroso vai a pique e, no hospital, ele é um verdadeiro kamikaze. Além disso, ainda deve uma fortuna a agiotas, ou seja, é um perigo ambulante. Contudo exala charme por todos os poros.

TC não é o único personagem com dramas. A série é recheada deles. Há um personagem homossexual que não consegue se assumir; o chefe chato pra cacete que enfrenta um sério problema; a ex-namorada do protagonista que não o esquece e, para completar, se torna chefe dele. Mas não pense você que o centro da história são os conflitos emocionais de seus médicos. Não. O que interliga os personagens é o fato de trabalham no turno da madrugada. E, portanto, a madrugada é a protagonista da trama e todos os dramas vividos durante esse período compreendem o chamariz da narrativa.

Em tempo: a série foi renovada, portanto entrou em sua segunda temporada. Gaby faz festa!

Um conselho: dê uma chance a The Night Shift. Eu prometo que vai valer a pena.

Gaby Matos

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s