[Especial] Teledramaturgia – Parte 1: Novelas Favoritas

Telenovelas, folhetins, soap opera, dramalhões, teledramaturgia.

O público conhece mesmo como novela.

Algo que gera uma confusão quando o assunto é literatura. Semelhante ao que ocorre quando falamos a respeito do gênero romance.

Na literatura, novela é um romance curto.

Romance, por sua vez, é uma narrativa de ficção composta de vários capítulos.

O que os difere, portanto, é a extensão.

Partindo destes conceitos, O Outro Gume da Faca de Fernando Sabino é uma novela, bem como A Hora da Estrela de Clarice Lispector e Crônica de Uma Morte Anunciada de Gabriel García Márquez.

O Exorcista é um romance. Harry Potter é um romance. O Grande Mentecapto é um romance. Carrie, a Estranha é um romance.

Como gênero literário, romance não é sinônimo de história de amor. E novela não é sinônimo de folhetins televisivos.

Mas as terminologias geram uma confusão dos infernos. Assim é comum que, quando um professor de literatura peça para que os alunos leiam uma novela, eles apareçam na sala de aula com livros como A Escrava Isaura, Helena, A Moreninha, Gabriela Cravo e Canela, Senhora, entre outros. Isto porque todos foram adaptados para a telinha no formato de telenovela. Porém, tratam-se de romances.

Também é comum que o professor passe uma lista de romances para que os alunos leiam e, ao término da leitura, façam observações do tipo :“Li Dom Casmurro e Memórias Póstumas e não vi nada de romance ali…”. Isto porque tem enraizada a ideia de que romances compreendem histórias de amor.

Foram termos que se popularizaram e ganharam novas definições ao longo dos séculos. Afinal, telenovela é uma palavra muito grande. Por que não abreviar para “novela”?

Então vamos falar de novelas. Não o gênero literário. Refiro-me à teledramaturgia brasileira. O que os gringos chamam de soap opera.

Quem lê meus textos para os blogs e sites que escrevo, está cansado de saber que sou uma apaixonada por cinema e seriados. Tenho até mesmo um group de séries no facebook que atualmente conta com aproximadamente 850 membros.

Poucas pessoas sabem que eu também aprecio telenovelas.

Já faz algum tempo, no entanto, que não acompanho folhetins pela televisão. A mania de baixar séries com temporadas fechadas e completas e assistir a 13 episódios em apenas um fim de semana, me habituou mal. Atualmente eu não tenho mais paciência para acompanhar tramas seriadas pela TV. Esperar o próximo capítulo não é algo que me agrada. Tornei-me impaciente. Gosto de fazer tudo de uma vez. Estou sempre lendo milhares de livros, vendo dezenas de séries e isso torna praticamente impossível manter uma rotina em frente à telinha.

Eu também sou uma pessoa dada a obsessões transitórias. Só no começo deste ano, já tive umas nove diferentes.

Eu funciono mais ou menos assim: Numa semana eu decido reler todas as histórias clássicas do Batman. Noutra semana, já desapeguei de Batman e quero mesmo é assistir todos os episódios da série Cavaleiros do Zodíaco. Na semana seguinte, cansei de Cavaleiros. Quero mesmo é baixar toda a filmografia do Brian De Palma. Mais uma semana chega e agora estou mesmo é com vontade de assistir documentários e ler livros e artigos sobre emissoras de TV extintas. Quem sabe o que o próximo mês me reserva? Maratona de alguma série que ainda não vi? Um mergulho no universo dos Doramas? Rever alguma novela que marcou minha vida? Rever todos os filmes do Kubrick ou do Hitchcock? Ler Tintin compulsivamente? Procurar algum novo shoujo-ai para viciar?

Sim, eu gosto de shoujo-ai. Não me critiquem.

Então, se eu começo a nutrir uma obsessão por algo, é bom saciá-la de uma vez! Reservar alguns horários durante a semana para supri-la e saná-la, porque é bem provável que na outra semana, eu já tenha esquecido desta obsessão. Admito este meu lado superficial.

E é esse o meu problema com telenovelas. Eu posso até começar gostando da trama. Mas antes da metade, eu já enjoei de acompanhar e simplesmente largo mão. Às vezes não é nem por conta da qualidade do enredo, atuações ou direção. O problema é comigo mesmo. Eu canso, enjoo, abandono.

Outro motivo que contribuiu para meu distanciamento do gênero é o fato de entrar novela, sair novela e eu não ver mais os nomes e rostos de Raul Cortez, Rubens de Falco, dentre outros monstros sagrados, integrando as chamadas de elenco das novelas… Isto porque já partiram desta para uma outra.

Apesar de tudo que coloquei acima, algumas novelas marcaram a minha vida, portanto, abaixo decidi listar as minhas favoritas. Muitos clássicos não foram contemplados e vocês perceberão a ausência de títulos que fizeram história. Todavia, levem em conta que listas são essencialmente subjetivas e eu nasci em 1988, então não vi muitas das novelas épicas e que se tornaram praticamente sagradas e indispensáveis na maioria das listas. Outras, tive a oportunidade de acompanhar as reprises ou vê-las pela internet. Há também títulos discutíveis e que parecerão duvidosos para muita gente. São novelas que fazem parte de minha memória afetiva, que estão listadas apenas por me trazerem recordações de bons tempos, portanto, peço para que perdoem minhas idiossincrasias. Sem mais explicações, aí está!

novelaxicadasilvacompletaemdvdsaopaulospbrasil__687eb1_11

10) Xica da Silva
Walcyr Carrasco <sob o pseudônimo de Adamo Angel>
(Rede Manchete, 1996)

Novela_O_Rei_do_Gado_1996

9) O Rei do Gado
Benedito Ruy Barbosa
(Rede Globo, 1996)

A_Indomada

8) A Indomada
Aguinaldo Silva e Ricardo Linhares
(Rede Globo, 1997)

Vale Tudo 2

7) Vale Tudo
Gilberto Braga, Aguinaldo Silva e Leonor Bassères
(Rede Globo, 1988)

Novela_A_Viagem_1994

6) A Viagem
Ivani Ribeiro
(Rede Globo, 1994)

cabocla2

5) Cabocla
Benedito Ruy Barbosa, Edmara Barbosa e Edilene Barbosa
(Rede Globo, 2004)

maxresdefault

4) A Próxima Vítima
Silvio de Abreu
(Rede Globo, 1995)

0Logo_ESSASMULHERES

3) Essas Mulheres
Marcílio Moraes e Rosane Lima
(Rede Record, 2005)

foto_33

2) Pantanal
Benedito Ruy Barbosa
(Rede Manchete, 1990)

roque santeiro

1) Roque Santeiro
Dias Gomes
(Rede Globo, 1985)

Este especial será dividido em, mais ou menos, quatro partes. Nos vemos no próximo post!

Até lá!

Andrizy Bento

Death Comes to Pemberley

Baseado na obra de P.D. James que utiliza os personagens de “Orgulho e Preconceito”, de Jane Austen. A história acompanha Elizabeth e o Sr. Darcy que, seis anos após os fatos ocorridos no livro de Austen, vivem em Pemberley com seus dois filhos. No momento em que organizam um baile, eles são surpreendidos por Lydia, irmã de Elizabeth, que chega com a notícia de que seu marido George Wickham foi assassinado. Uma investigação tem início levantando suspeitas e revelando segredos.

Vivemos um período engraçado. Antigamente os leitores se conformavam com o clichê dos clichês nos finais das historias de amor:

“E eles viveram felizes para sempre.”

Porém os universos literário, televisivo e cinematográfico clamam pelas sagas e não basta mais a historia de amor ter um final simples. As pessoas querem saber o que aconteceu com os nossos queridos heróis após o casamento que a gente sonhou.

Com essa premissa, vemos a melhor estreia do fim do ano passado: Death Comes to Pemberley. minissérie em três capítulos, exibida pela BBC One e e baseada na obra de P.D. James.

Voltamos ao mundo concebido por Jane Austen. E temos conhecimento do que pode ter acontecido com Lizzie e Darcy. Admito que havia um certo obstáculo para eu ver a série. Não contem a ninguém, mas achei o casal protagonista feio. Tinha decidido não vê-la, mas o meu coração seriemaníaco é incapaz de resistir a uma serie ambientada na Inglaterra do século XVIII. E, de coração aberto, fui ao primeiro episódio.

A minissérie roubou o meu coração por um motivo simples: os problemas enfrentados por eles são reais. Coisas que os dois com certeza poderiam ter vivido. Eles não vivem somente um eterno romance de conto de fadas. O conto de fadas, sim, pode ter problemas.

A série é encantadora, perfeitamente linda. Se eu me rasgar em elogios, vou encher vocês de spoiler. E spoiler não é legal. Só posso dizer que Death Comes to Pemberley é maravilhosa e vale muito a pena.

 

Gaby Matos

Nas Prateleiras: Lançamentos de Livros – Março / 2014

Este slideshow necessita de JavaScript.

Atraído
Emma Chase

Drew Evans venceu na vida. Charmoso e arrogante, ele fecha negócios milionários e seduz as mulheres mais lindas de Nova York apenas com seu sorriso. Seus amigos são leais e sua família o apoia. Então porque ele está trancado em seu apartamento há sete dias, terrivelmente deprimido? Ele dirá que está gripado, mas isso obviamente não é verdade. Katherine Brooks é uma mulher linda, inteligente e ambiciosa, que não deixa nada nem ninguém distraí- la de sua busca pelo sucesso. Ela foi contratada pela empresa de investimentos do pai de Drew, o que vira a vida do rapaz de cabeça para baixo: a competição com ela o estressa, sua atração por ela o distrai e suas investidas fracassadas o frustram. Logo quando Drew achava estar próximo de ter tudo aquilo que queria, seu excesso de confiança põe tudo a perder. Será que ele conseguirá enfrentar os contratempos e vencer o verdadeiro desafio de sua vida: o amor?

O Êxtase
Nicole Jordan

Depois de ver seu amor definhar por causa de um amor perdido, Raven Kendrick jurou nunca entregar seu coração. Mas quando sua vida se transforma em um escândalo, ela é forçada a aceitar uma proposta de casamento do sensual prorietário da casa de jogos mais conhecida de Londres. Embora fortemente atraída por seu enigmático salvador, Raven luta para resistir ao marido, cujas carícias prometem um êxtase além de suas fantasias mais selvagens. Para salvar a reputação da inocente jovem, Kell Lasseter se vê obrigado a sacrificar sua liberdade casando-se com a deslumbrante garota, uma vez que o irmão dele foi o causador da ruina de Raven. Desprezado por seu sangue irlândes e seu passado obscuro, Kell não pode negar que essa mulher geniosa e encantadora é diferente de todas as outras que já conheceu… Assim como não pode reprimir o desejo ardente que sente por ela. Dividido entre a lealdade para com o irmão e seus sentimentos crescentes por sua noiva rebelde, Kell precisa libertar o coração relutante de Raven de alguma forma, para que eles possam conhecer o extase do verdadeiro amor.

MTV – Bota Essa P#*$ Pra Funcionar
Zico Goes

“MTV, bota essa porra pra funcionar!”. Caetano Veloso soltou essa pérola no VMB 2004, depois de o sistema de som falhar repetidas vezes durante sua performance ao lado de David Byrne. Como era de praxe dentro da MTV, a equipe contornou a situação tirando sarro da própria cara. O episódio foi reprisado inúmeras vezes, e a frase, transformada num lema interno. Quase uma década depois da bronca de Caetano, a MTV Brasil deixou de funcionar. Disputas entre gigantes, cortes nos gastos e a crise gerada pela explosão da internet derrubaram o único canal da televisão aberta que se comunicava direta e exclusivamente com o jovem brasileiro. Neste livro, Zico Goes conta a história da MTV Brasil baseado em sua experiência de mais de duas décadas dentro da emissora.

O Códex dos Caçadores de Sombras
Cassandra Clare

Tudo sobre o mundo dos caçadores de sombras da série os instrumentos mortais, Anjos, demônios, fadas, vampiros, lobisomens, feiticeiros: todos eles existem e precisam ser administrados e mantidos em paz. “O Códex dos Caçadores de Sombras” abrange tudo: a história e as leis do mundo dos Caçadores de Sombras; como identificar, interagir e, se necessário, matar os diferentes tipos de habitantes do Submundo; qual lado da estela você deve usar para escrever. Com estudos sobre geografia, história, magia e zoologia, todos condensados em um só volume, o Códex está aqui para ajudar novos Caçadores de Sombras a navegar pelo lindo, porém muitas vezes brutal mundo que habitamos.

Nua (O Caso Blackstone 1)
Raine Miller

Quando o bem-sucedido empresário Ethan Blackstone compra um retrato de Brynne Bennett, ele quer possuir mais do que uma imagem emoldurada: ele a quer nua em sua cama. Depois de uma experiência traumática, a modelo americana deixou tudo pra trás em busca de um recomeço. Está fazendo pós-graduação na Universidade de Londres e, para se sustentar, faz ensaios fotográficos de nus artísticos. Bem longe de casa, tenta colocar a vida nos eixos, mas a aproximação de Blackstone vai abalar o equilíbrio recém-conquistado. Aos poucos a jovem vai se deixando seduzir, até que não consegue mais resistir ao charme do inglês. No início, é a natureza dominadora de Ethan que a atrai. O que ela não sabe é se o desejo que sentem irá despertar ou dissipar os demônios que carrega dentro de si. Ethan poderá apagar as cicatrizes de Brynne para que ela possa se entregar verdadeiramente a ele? Ou será que as sombras do passado de Ethan vão destruir a chance de serem felizes?

Revelada –  House of Night – Livro 11
P.C. Cast, Kristin Cast

Neferet está agora mais poderosa do que nunca, e sua busca por vingança ameaça as vidas não apenas de Zoey e seus aliados, mas de toda a humanidade. O caos impera em Tulsa, e todos passam a culpar a Morada da Noite por isso. Poderá Zoey impedir os planos terríveis de Neferet a tempo, antes que seu ódio possa desencadear uma guerra de consequências devastadoras? A série House of Night é um dos maiores fenômenos do mercado editorial, tendo alcançado a primeira posição na lista dos mais vendidos em países como Estados Unidos, Alemanha e Reino Unido, mantendo-se na lista de best-sellers do The New York Times por cerca de 150 semanas consecutivas. Agora, no penúltimo capítulo dessa aclamada série, a ação é ainda mais eletrizante, e os riscos são ainda maiores na batalha de Zoey e de seus amigos para proteger sua escola – e seu lar – da destruição. Ao mesmo tempo, os cativantes personagens criados por P. C. e Kristin Cast têm de lidar com seus sentimentos, com o jogo de amizades e traições e com o dia a dia entre as paredes da Morada da Noite.

Uma Razão Para Respirar
Rebecca Donovan

Na cidade de Weslyn, Connecticut, onda a maioria das pessoas se preocupa em ver e ser vista, Emma Thomas preferia não ser percebida de forma alguma. Ela está mais preocupada em fingir perfeição enquanto puxa as mangas da blusa para baixo para esconder as marcas roxas, não querendo que ninguém perceba quão longe da perfeição ela realmente está. Sem esperar, ela encontra o amor. O amor a desafia a reconhecer seu valor, mas correndo o risco de revelar o terrível segredo que esconde. O livro “Uma Razão Para Respirar” é eletrizante da primeira à última página; uma história ímpar sobre mudança, crueldade inesperada e uma garota se agarrando à frágil esperança. Uma Razão Para Respirar não é só um romance. É um livro que aborda a violência doméstica e todos os dilemas que as crianças e adolescentes que passam por isso precisam enfrentar. A personagem principal vive esta realidade e tenta tornar-se invisível para que as pessoas a sua volta não a percebam. E por meio da amizade e amor ela tenta superar cada dia doloroso até que consiga escapar desta rotina. Uma história forte, emocionante, dura, real, meiga, triste e doce ao mesmo tempo, que vai mexer com os sentimentos do leitor. Uma leitura envolvente do inicio ao fim.

Lilian Alipio

Oscar 2014 – Vencedores

12 Anos de Escravidão foi o grande vencedor da noite
12 Anos de Escravidão foi o grande vencedor da noite

Apresentada por Ellen DeGeneres e realizada em Los Angeles, a cerimônia de entrega do Oscar deste ano foi divertida e não tão injusta, felizmente. 12 Anos de Escravidão do diretor britânico Steven McQueen se consagrou como o Melhor Filme do ano, porém Gravidade do mexicano Alfonso Cuarón foi o mais premiado da noite, arrematando sete estatuetas, entre elas Montagem, Fotografia e Diretor. O que não deixa de ser curioso, uma vez que a vitória nestas três categorias mais do que justificava um prêmio de Melhor Filme. Mas, por razões políticas, por conta da relevância histórica e do fato de 12 Anos preencher uma lacuna em Hollywood tratando de um tema pouco explorado, acabou sendo o grande vencedor. Outro dos melhores momentos da festa, além da consagração de Gravidade nas categorias técnicas, foi Ela de Spike Jonze ganhar o prêmio de Roteiro Original. O longa Trapaça de David O. Russell, que disputava em dez categorias, não levou nenhuma, figurando como um notável fracasso. Apesar de bastante previsível como sempre, o Oscar deste ano até que foi bem legal.  Algo interessante a ser comentado é que McQueen é o primeiro cineasta negro a dirigir um filme que venceu na categoria principal. E Cuarón é o primeiro latino-americano a ganhar o prêmio de Melhor Diretor. A surpresa da noite ficou a cargo do in memoriam, o momento da premiação em que se presta um tributo a profissionais da indústria cinematográfica que faleceram durante o ano passado e início deste ano. O cineasta brasileiro Eduardo Coutinho estava entre os homenageados.

Ellen DeGeneres e um time de estrelas posando para uma foto que a apresentadora postou em seu twitter
Ellen DeGeneres e um time de estrelas: um dos momentos mais divertidos da noite foi quando a apresentadora sugeriu que fizessem uma foto para postar em seu twitter

Abaixo você confere a lista de vencedores da 86ª edição do Oscar, na ordem em que foram anunciados.

ATOR COADJUVANTE: Jared Leto (Clube de Compras Dallas)
FIGURINO: O Grande Gatsby
MAQUIAGEM: Clube de Compras Dallas
CURTA DE ANIMAÇÃO: Mr. Hublot
LONGA DE ANIMAÇÃO: Frozen
EFEITOS VISUAIS: Gravidade
CURTA-METRAGEM: Helium
CURTA DOCUMENTÁRIO The Lady in Number 6
DOCUMENTÁRIO 20 Feet From Stardom
FILME ESTRANGEIRO: A Grande Beleza (Itália)
MIXAGEM DE SOM: Gravidade
EDIÇÃO DE SOM: Gravidade
ATRIZ COADJUVANTE: Lupita Nyong’o (12 Anos de Escravidão)
FOTOGRAFIA: Gravidade
MONTAGEM: Gravidade
DESIGN DE PRODUÇÃO: O Grande Gatsby
TRILHA SONORA: Gravidade
CANÇÃO ORIGINAL: “Let it Go” – Frozen
ROTEIRO ADAPTADO: 12 Anos de Escravidão
ROTEIRO ORIGINAL: Ela
DIRETOR Alfonso Cuarón (Gravidade)
ATRIZ Cate Blanchett (Blue Jasmine)
ATOR Matthew McConnaughey (Clube de Compras Dallas)
FILME 12 Anos de Escravidão

Andrizy Bento

Previsões Oscar 2014 – Vencedores

vlcsnap-2014-01-16-08h06m15s19

Logo mais, à noite, saberemos quem são os vencedores do Oscar 2014. Abaixo, você confere as apostas do Bloggallerya.

Melhor Filme: 12 Anos de Escravidão
Possibilidade: Gravidade
Considerações: Trapaça parece ser um tremendo de um azarão. E estou torcendo para errar essa e Gravidade levar.

Melhor Diretor: Alfonso Cuarón (Gravidade)
Possibilidade: Steve McQueen (12 Anos de Escravidão)
Considerações: Cuarón leva essa. Seria injusto se qualquer outro ganhasse.

Melhor Ator: Matthew McCounaghey (Clube de Compras Dallas)
Possibilidade: Leonardo Di Caprio (O Lobo de Wall Street), Chiwetel Ejiofor (12 Anos de Escravidão)
Considerações: Ejiofor começou bem, mas McCounaghey acabou se destacando e se tornando favorito. Prêmio mais do que merecido. DiCaprio levou o Globo de Ouro e suas chances cresceram. Mas representa mais uma ameaça mesmo a McCounaghey. No entanto, parece que Leo vai ter que aguentar mais um ano sendo alvo de piadinhas no tumblr e em outras redes sociais.

Melhor Atriz: Cate Blanchett (Blue Jasmine)
Possibilidade: Sandra Bullock (Gravidade), Amy Adams (Trapaça)
Considerações: Sandra Bullock parecia ter mais chances quando começou a temporada de premiações. Amy Adams, assim como DiCaprio, se beneficiou de um Globo de Ouro. Mas Cate ganhou todos os prêmios que podia. Parece imbatível. Levando-se em conta que ela é a melhor coisa do filme (e o que o torna até suportável, ao lado de Sally Hawkins), merece o prêmio.

Melhor Ator Coadjuvante:  Jared Leto (Clube de Compras Dallas)
Possibilidade: Michael Fassbender (12 Anos de Escravidão)
Considerações: A vitória de Leto é dada como certa. Fassbender enfraqueceu bastante durante a awards season deste ano.

Melhor Atriz Coadjuvante: Lupita Nyong’o (12 Anos de Escravidão)
Possibilidade: Jennifer Lawrence (Trapaça)
Considerações: A Jennifer ganhou o Globo de Ouro e venceu como Melhor Atriz no ano passado. No entanto, ela venceu o Globo por ser uma grande estrela em evidência. E a Academia dificilmente iria premiá-la dois anos consecutivos, mesmo que ela seja a atual queridinha. Aposto em Lupita.

Roteiro Original: Ela (Spike Jonze)
Possibilidade: Trapaça (David O. Russel; Eric Singer)
Considerações: Eis um prêmio que eu vou vibrar e festejar muito se este for o resultado. Por Ela ser um excelente filme com um excelente roteiro (provavelmente um dos melhores do ano, mesmo que ainda estejamos em fevereiro); por ser fã de longa data de Jonze; por realmente merecer o Oscar de Roteiro Original. Qual outro roteiro foi, assim, tão original quanto este? Vai ser uma grande sacanagem se Trapaça levar essa, um roteiro fraco e deficiente. Felizmente, tudo indica e parece antecipar uma vitória para Ela. Mas não custa nada torcer.

Roteiro Adaptado: 12 Anos de Escravidão (Steve McQueen; John Ridley)
Possibilidade:
Considerações: O Lobo de Wall Street e Philomena não parecem ter força suficiente para derrubar 12 Anos nesta categoria.

Melhor Animação: Frozen (Jennifer Lee; Chris Buck)
Possibilidade: Vidas ao Vento (Hayao Miyazaki)
Considerações: Não pude ver Vidas ao Vento, mas Ernest & Celestine é definitivamente melhor do que Frozen. Não que Frozen seja ruim. Para falar a verdade, ele tem méritos notáveis (tanto narrativos, quanto visuais), mas não fica assim tão acima da média quanto Ernest & Celestine.

Melhor Filme Estrangeiro: A Grande Beleza (Paolo Sorrentino – Itália)
Possibilidade: Alabama Monroe (Felix Van Groeningen – Bélgica)
Considerações: A Caça era um filme que merecia muito ganhar nesta categoria. Infelizmente, começou bem nesta temporada de premiações, apontado como frontrunner, mas foi empalidecendo. Contudo, não vai doer vê-lo perder para A Grande Beleza, filme italiano maravilhoso em todos os sentidos, e que é considerado o mais forte candidato. Gostei de Alabama Monroe, mas não tanto quanto dos outros dois citados.

Melhor Documentário: 20 Feet from Stardom (Morgan Neville)
Possibilidade: O Ato de Matar (Joshua Oppenheimer)
Considerações: O Ato de Matar começou bem e, durante um tempo, muitos deram como certa sua vitória. No entanto, 20 Feet from Stardom passou a dominar a maior parte das previsões e garantir certo favoritismo. Mas ainda há quem aposte no primeiro. Fico com o segundo.

390-oballot-0116

Design de Produção: O Grande Gatsby
Fotografia: Gravidade
Montagem: Gravidade / Capitão Phillips
Figurino: Trapaça / O Grande Gastby
Maquiagem: Clube de Compras Dallas
Trilha Sonora: Gravidade
Canção Original: “Let it Go” (Frozen)
Edição de Som: Gravidade
Mixagem de Som: Gravidade
Efeitos Visuais: Gravidade
Curta de Animação: Get a Horse (Lauren MacMullan)
Documentário Curta-Metragem: The Lady in Number 6: Music Saved My Life (Malcolm Clarke)
Curta-Metragem The Voorman Problem (Mark Gill)

Andrizy Bento