[Especial] Rock Nacional Anos 80 – Parte 3

Aqui, continuo (depois de muito tempo) o especial com a história do Rock Brasil dos anos 80. Conforme prometido, destacarei o período de 1984 a 1986, quando o rock nacional ganhava cada vez mais visibilidade na mídia.

Depois do lançamento do compacto, o Kid Abelha explodia nas paradas de sucesso e, com isso, naquele ano de 1984, a banda gravou o seu primeiro LP intitulado Seu Espião. Até hoje, o mais procurado da banda. Além da música-título, o álbum trazia sucessos como, Fixação, Como Eu Quero e as já conhecidas Porque Não Eu? e Pintura Íntima.

É lançado o primeiro e polêmico disco Phodas C, do cantor Léo Jaime. O disco foi durante muito tempo segurado pela gravadora CBS; uma pelo título e outra por causa das músicas. A canção de maior sucesso, Sônia, teve sua execução radiofônica proibida, fazendo com que o cantor e compositor fosse obrigado a gravar uma segunda versão para a mesma, um pouco mais light, mas ainda mantendo o duplo sentido.

Lobão, que já havia gravado um álbum solo, naquele ano, estava com uma banda, Os Ronaldos, integrada por Guto Barros, Baster Barros, Odeid Pomeranblum e Alice Pink Pank, ex – Gang 90 & as Absurdettes. Juntos, Lobão e os Ronaldos gravam o disco Ronaldo Foi Pra Guerra. As músicas Me Chama e Corações Psicodélicos, que estão no primeiro e único LP da banda, foram bem executadas na rádio.

Ritchie lança o álbum … E a Vida Continua…, com os hits Só Pra o Vento e Mulher Invisível, cujo videoclipe era bem inovador para a época, feito no estilo mini-filme de uns 6 minutos, mais ou menos, com vários cenários utilizados.

Infelizmente, os fãs do rock receberam uma triste notícia no ano de 1984: a morte do cantor Júlio Barroso, líder e compositor do grupo Gang 90 & as Absurdettes. Ele caiu do 11° andar, deixando o mistério, afinal ele caiu ou se jogou? O mais curioso nessa história é que sua cama ficava bem próxima à janela.

Sai o 3° disco do Barão Vermelho, Maior Abandonado, que tinha um dos maiores sucessos da banda, a música que dava nome ao álbum além do super hit Bete Balanço. Este foi o último antes da saída do vocalista, o icônico Cazuza.

O disco O Passo do Lui dos Paralamas do Sucesso, foi lançado também naquele ano, e foi com ele que a banda se popularizou. Apenas duas das dez músicas desse disco, não foram lançadas como hits, todas as restantes foram e até hoje são as mais tocadas da banda, como Meu Erro, Óculos, Ska e Assaltaram a Gramática, que teve a participação de Lulu Santos.

E por falar em Lulu Santos, o disco Tudo Azul foi o álbum que o artista lançou em 1984. Disco repleto de participações especiais como Os Paralamas do Sucesso, João Penca e Seus Miquinhos Amestrados, Rita Lee, Roberto de Carvalho, Erasmo Carlos nos vocais e Ritchie tocando Flauta em uma das músicas.

O grupo Titãs lança seu primeiro disco homônimo. Seu lançamento foi na boate Tifon em São Paulo. Do disco, a música Sonífera Ilha se tornou o maior sucesso, o que levou o grupo ao primeiro lugar nas paradas daquele ano. É nessa época que a banda passa por uma mudança também. O baterista André Jung muda de banda, entrando para o Ira!, o que foi coincidentemente uma troca, já que Charles Gavin, que havia saído do Ira!, entrou para os Titãs.

E no ano de 1985, o Ira! que além de mudar de baterista havia mudado o baixista, com Ricardo Gaspa substituindo Dino, lançou o disco Mudança de Comportamento. Um outro grande sucesso da banda foi a música Núcleo Base, um hino da banda.

E os Titãs, já com a nova formação, grava o disco Televisão, um clássico da banda. De acordo com entrevistas que os integrantes deram na época, o LP recebeu esse nome porque as faixas eram bem variadas, e cada uma lembrava um canal de TV.

O ano de 1985 começava bem para os garotos da banda Legião Urbana. Pois no primeiro dia daquele ano, era lançado o primeiro LP do grupo. Um disco homônimo com as canções Será, Ainda é Cedo e Geração Coca-Cola, essa última uma regravação da antiga banda de Renato Russo, o Aborto Elétrico.

Depois de um disco polêmico, o cantor Léo Jaime lança Sessão da Tarde, com músicas mais românticas. Dois sucessos intitularam filmes do qual ele participou, As Sete Vampiras e Rock Estrela. O disco também trazia o hit emblemático Fórmula do Amor com a participação do grupo Kid Abelha além de A Vida Não Presta e Solange que era uma versão em português do grupo Police, dedicada à censora Solange Hernandes, que proibiu muitas músicas na época.

É lançado o disco Circular do inglês naturalizado brasileiro Ritchie, o último disco na gravadora CBS. Destaque para a música Telenotícias.

Em 85 também é realizado o primeiro Rock in Rio. O festival que além de trazer grandes estrelas internacionais, reuniu os astros do rock brasileiro como Blitz, Kid Abelha, Lulu Santos, Paralamas do Sucesso, Eduardo Dusek e Barão Vermelho. Recentemente, a Som Livre lançou DVDs com as apresentações dos Paralamas e do Barão no evento.

Uma grande mudança no grupo Barão Vermelho aconteceu no ano de 1985. Seu vocalista, Cazuza deixava o grupo para seguir uma bem sucedida carreira solo. E já começava bem com o lançamento de seu primeiro LP, Exagerado.

Depois de dois compactos de sucesso nos anos anteriores, o grupo Ultraje a Rigor lança o seu clássico primeiro disco, Nós Vamos Invadir Sua Praia. Todas as músicas desse disco foram sucesso, sendo até hoje, um dos LPs mais procurados pelos fãs do rock nacional.

O grupo RPM lançou o disco Revolução por Minuto, com os sucessos Rádio Pirata e Loira Gelada. Nesse mesmo ano, lançaram a turnê Rádio Pirata com direção de Ney Matogrosso.

Enfim, depois de dois anos, o grupo Capital Inicial grava o compacto Descendo o Rio Nilo, que também trazia a música Leve Desespero. Isso impulsionou no ano seguinte, 1986, o lançamento do primeiro LP do grupo, intitulado com o nome da banda. Do compacto, apenas Leve Desespero entrou no disco. Outras canções como Fátima, Veraneio Vascaína e Música Urbana, (regravações do Aborto Elétrico) também se encontram no álbum.

Sai o terceiro disco do cantor Léo Jaime, Vida Difícilm que continha uma regravação de Mensagem de Amor dos Paralamas do Sucesso.

Naquel mesmo ano foi lançado o disco Cabeça Dinossauro dos Titãs, um dos ritos de passagem do rock nacional, como muitos dizem. Ainda que a música Bichos Escrotos que pertence a esse disco, tivesse sido censurada, as rádios da época preferiram pagar a multa, a deixar de executar a música.

Depois de alguns desentendimentos após do Festival Cidade Live Concert, o baixista do Kid Abelha, Leoni, sai do grupo e forma uma nova banda, os Heróis da Resistência e lançam o primeiro disco. Já o Kid Abelha lança o seu primeiro registro ao vivo em LP, que trazia regravações e a inédita Nada Por Mim, composição de Paula Toller e Herbert Vianna que já havia se tornado conhecida na voz da cantora Marina Lima.

Após a turnê Rádio Pirata ter sido um grande sucesso, ela é registrada em forma LP pela banda RPM, Rádio Pirata Ao Vivo, que bateu o recorde da época, vendendo 2,5 milhões de cópias.

Depois de seis anos juntos, a banda Blitz chega ao fim. Com isso, o vocalista Evandro Mesquita parte para a carreira solo.

Outro rito de passagem do rock acontece no ano de 1986; o disco Dois da Legião Urbana, trazendo uma enorme visibilidade à banda, fazendo com que a banda brasiliense tivesse um grande reconhecimento pelo país.

Aqui termina mais uma parte do especial do Rock Nacional Anos 80. Na próxima postagem focará nos últimos três anos da década. Mais alguns discos clássicos e momentos históricos serão destacados.

Aguardem!

Você pode ler as partes 1 e 2 do Especial Rock Nacional Anos 80 clicando aqui e aqui

Fonte: Revista MTV número 18 ano 2002 e Revista Show Bizz Especial anos 80 ano 1999

Adryz Herven

Anúncios

5 opiniões sobre “[Especial] Rock Nacional Anos 80 – Parte 3”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s